sexta-feira, 10 de abril de 2009

Abismo


Eu tremi diante dos teus olhos. Tuas palavras abriram portas e janelas sem anúncio de chegada. Vocë sabe como me fazer derreter e me deixar boiando no fluxo do teu olhar. Um dia já fui me buscar tão longe! Eu sou testemunha que um só corpo não é capaz de abrigar uma vontade em desatino. Há um abandono de justa causa todas as vezes em que pedaços de mim partem em tua direção. Eu nunca tive fronteiras. Por isso, quando tuas palavras vibram como cordas musicais eu prenuncio vias de perdição. Finco os pés no chão e tento me dizer fixa, de contornos precisos. Não posso ir embora para vocë. Não existe trilha sonora capaz de traduzir em imagem nossos enlevos. Ficou turva a memória. Entre nós dois existe um despenhadeiro, uma ponte elevadiça suspensa no tempo. Embora saiba voar, tenho medo de alturas. Existe um sopro de música entre o chão e o planeta de nós dois. Ouço acordes de uma cançao sem gravidade. A tua voz me transporta em um tapete nada mágico e mudo de futuro. Nunca soube ninar esse sentimento insone que atravessa dobras do tempo. Vou repetir até que ouças: desperto e tremo diante de teu olhar. Danço que é para disfarçar esse turbilhonar do meu corpo diante de tua visão. Misturo passos e tropeço entre teus pés. Tua mão enlaça minhas costas e toca minha indecisão. Eu preciso ir. Nunca entendi porque teus braços prendem minhas pernas bem no momento em que ensaio gestos de partir. Eu continuo pequena e as estradas são tão largas. Não tem ninguém que aponte a direção de mim. Eu temo não saber o caminho de volta e permanecer nesse espaço infinito de passagem. Por isso, continuarei atravessando o deserto sob a mira do teu olhar. Trëmula e lívida. Deitada por sobre o abismo.

35 comentários:

  1. Amiga glória.
    Nos abismos nunca devemos dar um passo em frente. Mas dentro do abismo do amor, é sempre bom mergulhar. Também é verdade que´às vezes mergulhamos em águas pouco profundas e batemos com a cabeça no fundo. São as contigencias da paixão.
    Um beijo
    Victor Gil

    ResponderExcluir
  2. ai, que conforto de amor no meu coração. preciso de um abraço teu. certeza que eu melhoro, certeza!um beijo.

    ResponderExcluir
  3. "Eu continuo pequena e as estradas são tão largas", assim que me sinto ao lembrar de um grande amor.

    O amor é algo inexplicável, e temer o destino do mesmo é mais inexplicável ainda, mesmo assim eu prefiro mergulhar nesses abismos chamados: paixão, amor e olhar.
    Entregar-se por inteiro e sentir, sem pensar no caminho, sem pensar na volta, apenas ir...

    Lindas linhas
    adoro suas escritas
    bjus
    e uma Feliz Páscoa.

    ResponderExcluir
  4. Glória,
    O amor é uma angústia dentro do peito. Como dizia Camões " É fogo que arde sem se ver..,,// é um querer mais que bem querer.."
    É um abismo que nos causa estranheza e prazer.
    Você escreveu muito bem o ir e vir da dúvida amorosa , como sempre, acertando na escolha das palavras.
    Quanta sofreguião ! ( risos )

    Boa Páscoa.
    Beijão !

    ResponderExcluir
  5. "Nunca entendi porque teus braços prendem minhas pernas bem no momento em que ensaio gestos de partir"

    Já passei por momentos como esse e como eu odiei! Me dava vontade de me encher de bolachas pra nunca mais fazer igual.

    ResponderExcluir
  6. Olhares e palavras que nos desatinam.

    Eu só precisei de palavras. Você me fez lembrar.

    feliz páscoa!

    abraços

    ResponderExcluir
  7. Glória,
    Você traduz a dança da paixão, dos encontros e desencontros como ninguém...
    Que pessoa linda é você!

    ResponderExcluir
  8. VOCÊ É LINDA. INCRIVELMENTE LINDA! E escreve lindo e leve, Glória.

    ResponderExcluir
  9. "Eu temo não saber o caminho de volta e permanecer nesse espaço infinito de passagem."

    É todo lindo, mas esse trecho me toca mais fundo. Estou nessa mesma ponte elevadiça suspensa no tempo.

    Como sempre, você escreve o que eu sei e sinto, mas não sei como dizer.

    ResponderExcluir
  10. Dois os caminhos.
    A razão, que mostra a minha existencia pela pele.
    Minha alma que me leva
    ao encontro de mim,
    pois na minha duvida já
    encontro a distancia de ti.

    Beijos, aff!
    feliz páscoa

    ResponderExcluir
  11. Glória!

    Você renasce, sim! Você é a própria vida! :)

    Um beijãooo! Feliz Páscoa!
    Te espero por lá!

    Pedro Antônio

    ResponderExcluir
  12. Belo texto, Glória!

    Quem sabe o que o amor é, ou não sabe o que é ou então nunca amou.
    O amor não é, vai sendo. Vai sendo com o que o amanhã nos trouxer. É por isso que "desperto e tremo diante de teu olhar".

    Beijo!

    ResponderExcluir
  13. Glória querida,

    Um perigo ler este texto. Risos.
    Ele traduz o que estou sentindo.

    Você me inspira ;-))

    Beijim.

    ResponderExcluir
  14. Que lindo e leve! De vez em quando eu preciso ir "me buscar tão longe!".
    Dias lindos pra nós todas!

    ResponderExcluir
  15. Você ia e voltou.
    Trafegar em estradas de alta velocidade e muitas faixas é a tradução dessas vidas deste tempo. Podemos qualquer outra coisa, mas optamos pelas escolhas dentro das escolhas,
    por ora nem optamos elas nos escolhem, o trafego nos acelera, nos paralisa, nos coloca frente ao tempo da separação, mas queremos é a via larga.
    Continua-se, por que embora haja medo há outro fator: o tamanho do corpo e o tamanho do abismo, um supre o outro. Cabendo no abismo o corpo, havendo então o enlevo do que fica, assim como do olhar.

    [Aquela é sim a minha mãe.
    Suas visitas iluminam, assim como a agitação suave de sua presença]

    beijo querida

    ResponderExcluir
  16. Obrigado pela visita, e pelo carinho com que me lestes e me pensastes.
    Sempre é bom ter dfo nosso lado gente inteligente e sensível.
    Quanto ao teu post, gostei da foto e do conteúde, e vi nele muito de um amor e de um sentimento especial de fuga para as nossas realidades. Como bem foi dito por ti lá no meu espaço, são muitos os caminhos.
    Quando eu leio coisa assim, fico carente... (risos)
    Ai ai... sempre vou invejar quem, ao partir, tem quem o segure pelos pés e o impeça de ensaiar este geste tão triste.
    Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  17. Mulher, Ave Rara, lindo de mais, não me atrevo a falar, pois poderei estragar a beleza que capto do texto.

    Concerteza, voltarei e muitasssssssssss vezessssssssss...

    Beijos milll...

    Priscila Cáliga

    ResponderExcluir
  18. Tapete voador é a sua escrita, que nos leva, leve, por imagens e sensações.
    Delícia de texto!

    Te vi no Gavinhas. Vi que está buscando alternativas para leitura em seu estado.

    Conhece o Arca das Letras?

    ResponderExcluir
  19. Quanta sensualidade, quanta paixaão, quanta escrita! Caí no abismo...e agora não vou sair.

    ResponderExcluir
  20. Agora com meu nickname correcto.só para dizer que continuo no abismo..
    Quanta sensualidade, quanta paixaão, quanta escrita! Caí no abismo...e agora não vou sair.

    ResponderExcluir
  21. Também tremo. E avanço. Depis, venho aqui e descanso

    ResponderExcluir
  22. Glória,

    Olha só... Quem não viveu, viverá! Eu já vivi, não muito, mas o suficiente para às vezes ser os braços e noutras as pernas. Não sei qual me senti mais vulnerável, mais fraco, mais forte... mas passei a ver os precipícios em cordas bambas na pele de quem me ama... e agora, bem... sou o coração, o mesmo de outrora, que hoje, os teus olhos, teus medo quebranta.

    Literalmente adorei, e sabemos por que!? Uma rotina que todos os apaixonados tem que superar?

    Tem mais? Beijos

    Roberto Ramosps: Sim, nascido e criado ;D

    ResponderExcluir
  23. Mulher, linda !

    Ameiii.. seu comentário.

    Ave Rara,
    o silêncio é bailar num escrito que deixo pra ti...

    "... atravessava um campo repleto de lírios; o vento soprava gentilmente e as pétalas sedosas faziam cócegas na ponta de seus dedos à medida que ela avançava através dos longos emaranhados de vegetação verde brilhante...
    Seu corpo estava tão leve que parecia flutuar...
    O doce perfume dos lírios preenchia-lhe as narinas. Sentia-se tão... feliz, tão livre".

    Trecho Livro - Ps, Eu te amo

    Beijos milll...

    Priscila Cáliga

    ResponderExcluir
  24. As palavras dobram o tempo. Por vezes apresentam-se traiçoeiras.
    Os universos paralelos de nós dois se tocam com a música das palavras.
    Queria voltar, mas não lembro de onde vim. Tempo.
    Quem tem os olhos como os teus não consegue disfarçar as mágoas.
    A minha dor inda é maior.
    Não ser poeta assim como tu és
    Para materializar a minha dor!

    ResponderExcluir
  25. **Comentário à parte**

    Shara Jane? Conheço, sim! Digo, nunca vi, mas sei que ela organiza alguns livros em que são publicados artigos e ensaios de professores com Mestrado e Doutorado. Tenho dois organizados por ela.

    Acho que ela é amiga de uns professores meus (eu curso História). Este é o curso dela também?

    Ê mundo pequeno, né? E repito: minha cidade é um ovo. Risos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  26. Aloha Glória!!!

    Contemplar o abismal de universos paralelos não traz em si infortúnios.

    Infortúnio seria não ter o que contemplar!!

    Após ler-te é impossível deixar de citar o mestre!!!

    " O homem que não passa pelo inferno de suas paixões nunca consegue superá-las !!"
    Carl Gustav Jung.

    Aloha!!
    Hod.

    ResponderExcluir
  27. Hay, acaso algo que nos vulnerabilice mas que el amor, hay algo más misterioso?
    Es que decifrar los misterios son tareas ímprobas, mas vale dejarse ser, fluir y entregarse a todo lo que se nos presente.
    El abismo como el vacío son percepciones existenciales que no nos arrastran si nos entregamos con toda pasión a ser.Si nos permitimos amanecer en cada inspiración.

    Pasé, leí disfruté y te dejo un beso. Me gustó tu relato.

    ResponderExcluir
  28. "A tua voz me transporta em um tapete nada mágico e mudo de futuro. Nunca soube ninar esse sentimento insone que atravessa dobras do tempo"

    Gloria, sei exatamente como é isso... e no meu caso a dor veio quando a voz tava longe...

    Lindo demais!

    BeijOs

    ResponderExcluir
  29. É começar e não parar. Ler-te é se jogar de um abismo, sem morte. Belo texto, Glória!
    Abração!

    ResponderExcluir
  30. Bonito bonito...
    Glorinha, vc é um amor qd escreve, parece um sopro de vida, de amor. e qd passa pelos nossos blogs, sopra amor.

    obrigada pelas palavras bonitas no meu cantinho, amei mt :)

    e vc ta certa, foi renovacao espiritual.

    ResponderExcluir
  31. conta, conta ,conta como foi em roma!!!!!!!!
    quer me mandar um email??? ninasena@hotmail.com

    posso aguardar??

    ResponderExcluir
  32. a que lindo teu cantinho! voltarei...

    ResponderExcluir
  33. ISHTAR sobre mim19 de maio de 2009 02:10

    "Onde finda a palavra começa o abismo"
    É assim que começa oração mais bela que já fiz na minha vida. Secreta, nunca mostrei a ninguém, exceto à mulher das mulheres, à senhora da minha alma.

    Achei que havia ganhando asas ou ao menos uma ponte dessas de madeira, que me fizesse chegar ao lado dela. Não sei o que o tempo me reserva, mas a voz imita muito bem tal mulher.

    Hoje tenho violão e vibro em música aqui, no lugar estranho em que chamo de lar. Já meio sem vergonha, mostro para quem não tem muita sensibilidade ou possibilidade de compreensão. Me contento.

    Quem sabe um dia ela ouça minha oração e tenha coragem de, finalmente voa.

    ResponderExcluir
  34. Ai que texto maravilhoso .
    Diz muito de mim agora!

    ResponderExcluir

Ventanias